probioticos.png

O que são os probióticos?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os probióticos são “microrganismos vivos que, quando se administram nas quantidades adequadas, exercem efeitos benéficos no hospedeiro.”

 

As estirpes bacterianas mais utilizadas como probióticos e que demonstraram ser mais benéficas são os Lactobacillus e os Bifidobacterium, podendo ser consumidas nos alimentos ou em suplementos alimentares.

 

De acordo com normas internacionais (FAO/WHO), para que seja considerado eficaz, o probiótico tem de cumprir requisitos como: ter um efeito benéfico no hospedeiro comprovado, segurança clínica documentada, capacidade de colonização do tubo gastrointestinal, resistência ao ácido gástrico e bílis, sendo que as suas características devem permanecer inalteradas desde a preparação até ao seu destino final – a flora intestinal.

Os probióticos contribuem para manter a flora intestinal equilibrada, importante para o normal funcionamento do trânsito intestinal e do nosso sistema imunitário. Estes microrganismos vivos ajudam na digestão de alguns alimentos, na síntese das vitaminas do grupo B e melhoram a absorção de nutrientes como as vitaminas C, D, cálcio e ferro.

 

Por sua vez, os prebióticos estimulam o crescimento das bactérias benéficas dos probióticos, servindo como seu nutriente. Como exemplo de prebiótico temos os Frutooligossacarídeos (FOS).

 

Das claras vantagens da associação dos probióticos com os prebióticos surgem assim os simbióticos.

microbiota.jpeg

A microbiota

A microbiota é o conjunto de microrganismos vivos residentes num determinado ambiente. Residem nestes locais de forma mais ou menos permanente e desempenham funções específicas. Existem várias microbiotas no corpo humano, sendo a microbiota intestinal (também conhecida como flora intestinal) uma das mais importantes.

A importância de uma flora intestinal saudável

A microbiota intestinal pesa entre 1-2 kg e nela encontram-se cerca de 95% do total de bactérias que habitam naturalmente o corpo humano. Esta colonização bacteriana evolui ao longo da vida começando no nascimento (onde o tipo de parto e forma de alimentação do bebé tem influência) e altera-se à medida que envelhecemos.

 

Para além das alterações associadas à idade, fatores ambientais como o tipo de dieta, estilo de vida, higienização excessiva e toma de antibióticos podem alterar a microbiota intestinal, conduzindo a um estado de disbiose.

Como consequência da disbiose surgem os distúrbios digestivos, sendo os mais frequentes a diarreia e a diarreia associada à toma de antibióticos – que podem provocar desidratação -, a distensão e dor abdominal, gases e flatulência e a obstipação.

 

Por outro lado, uma microbiota intestinal equilibrada permite que esta desempenhe corretamente as suas funções metabólica, digestiva, protetora e de estimulação do sistema imunitário, contribuindo para o nosso bem-estar geral

Informação adicional sobre probióticos e microbiota intestinal

Recomendações internacionais sobre os benefícios dos probióticos em adultos e crianças: